CONTACTOS

Estaleiro central

Rua do Canadelo, Brandara
4990 – 560 Ponte de Lima

Escritório

Avenida dos Bombeiros Voluntários 219
4990-344 Ponte de Lima
tlf: +351 258 938 033
fax: +351 258 938 035
geral@refoiense.com

Horários

Segunda a sexta-feira:
9h – 12:30h e 14h – 18:30h

Reabilitação da Escola Básica Vallis Longus arrancaram segunda-feira

Já arrancaram as obras de requalificação e modernização da Escola Básica Vallis Longus, em Valongo, no distrito do Porto, têm um investimento de 3,2 milhões de euros.

A empreitada tem um prazo de execução de 395 dias e tenciona melhorar as funcionalidades, eficiência térmica e acessibilidades da escola, explicou a autarquia, em comunicado.A intervenção visa a requalificação dos blocos A, B e C, edifício administrativo, pavilhão gimnodesportivo e arranjos exteriores, construção de uma nova portaria com acessos a pessoas com mobilidade condicionada, tratamento de todas as fachadas com aplicação de sistema de isolamento térmico e substituição de caixilharias e de cobertura em fibrocimento e aquisição de mobiliário, detalhou.

“Esta requalificação contempla a remodelação integral dos blocos com reformulação das salas de aula, a construção de laboratórios que a escola não tinha e, ainda, a retirada definitiva dos contentores existentes que funcionam há muitos anos como salas de aula”, sublinhou a câmara.

A obra será dividida em três fases para manter a escola em funcionamento, frisou.

A autarquia explicou que para assegurar a continuidade de todas as atividades letivas serão instalados contentores temporários de salas de aula e instalações sanitárias no recreio descoberto.

Atualmente, frequentam a Escola Básica Vallis Longus cerca de 1.000 alunos do 5.º ao 9.º ano.

A empreitada, no valor de 3,2 milhões de euros, é financiada a 85% por fundos comunitários no âmbito do Programa Operacional Regional NORTE 2020, sendo os restantes 15% comparticipados pelo Município de Valongo e o Ministério da Educação.

“A Câmara Municipal de Valongo assume a posição de dono da obra e, além dos 7,5% da contrapartida pública nacional, atribuiu mais 500.000 mil euros do orçamento municipal”, referiu.

“Finalmente, começa a ser corrigida uma injustiça que já se arrastava há demasiados anos, pois Valongo foi o único concelho da Área Metropolitana do Porto cujas escolas da responsabilidade do Governo nunca foram intervencionadas pela Parque Escolar”, afirmou o presidente da Câmara Municipal de Valongo, José Manuel Ribeiro, citado no comunicado, recordando que também teve de ser a autarquia a assumir a empreitada de requalificação da Escola Secundária de Ermesinde.

O autarca ressalvou que com esta obra na Vallis Longus já não há amianto em nenhuma das escolas de Valongo, desde os jardins-de-infância às secundárias.

E acrescentou: “substituímos todas as coberturas de fibrocimento das nossas escolas, tenham ou não amianto, inclusive naquelas que até há bem pouco tempo não eram da nossa responsabilidade direta”.

Fonte: RTP.